Minoria da população, os homens são os principais responsáveis por acidentes de trânsito no País. De acordo com a Pnad 2008, 70% das vítimas em acidentes de trânsito ocorridos nos 12 meses anteriores ao levantamento eram do sexo masculino.

Ao todo 4,7 milhões de pessoas se envolveram em acidentes no período. Praticamente metade dos acidentes ocorridos no País se concentra no Sudeste, região com a maior frota de veículos.

As maiores vítimas são jovens entre 25 e 34 anos (1.297), seguido por grupos entre 18 e 24 anos (1.055).  Curiosamente, na primeira faixa de idade, a grande maioria das pessoas que dirigiam ou andavam como passageiros no banco da frente dos veículos diz usar sempre ou quase sempre cinto de segurança: 76% ¿ enquanto a média no País é de 73,2%.

Nesse quesito, mulheres e homens são igualmente obedientes à lei: 73,1% e 73,2%, respectivamente, dizem usar sempre o cinto de segurança no banco da frente.

A população mais atenta à norma é a do Sul, onde o índice chega a 86,1%. O pior índice é o do Nordeste, onde pouco mais da metade dos passageiros ou motoristas (52,3%) afirma fazer uso do cinto de segurança ¿ entre jovens de até 13 anos dessa região o índice despenca para 28%.

A taxa nacional cai consideravelmente, entretanto, entre pessoas que dizem usar o cinto de segurança na parte de trás de automóveis ou van. No total, apenas 37,3% das pessoas no País cumprem a lei, novamente sem distinção entre homens e mulheres (37,1% e 37,3%, respectivamente).

O Norte é a região do País com o menor índice de respeito à norma: 18,1% - no Sudeste é de 42,7%. A faixa de idade menos obediente (31,7%) é entre os 14 e 17 anos ¿ sobretudo no Norte, onde a norma é observada apenas por 14,4% das pessoas dessa idade.

Leia também:

Leia mais sobre: Pnad

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.