Homem que teria roubado avião é acusado de estupro de menina de 13 anos

GOIÂNIA - O homem que teria roubado o avião que caiu no início da noite de quinta-feira, no pátio do maior shopping de Goiânia, é acusado pelo estupro de uma menina de 13 anos e teria a prisão decretada nesta sexta-feira, de acordo com a Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) de Aparecida de Goiânia.

Redação |

O acusado, Kleber Barbosa da Silva, de 31 anos, e a sua filha, Penélope Barbosa Correia, de 5 anos, morreram na queda da aeronave, que foi roubada por Silva, segundo a polícia, horas antes do acidente.

Ainda segundo a Depai, a menina que sofreu abuso teria registrado a ocorrência e reconhecido Silva por fotos ao longo das investigações. Ela teria, também, conseguido anotar os números da placa do carro com o qual foi abordada pelo homem.

Na ocorrência, a menina relatou que estava a caminho da escola quando foi abordada por Silva. Ela teria sido, então, convencida a entrar no carro dele e, depois, violentada.

Agora, a Depai deve coletar material genético do corpo de Silva para realizar um exame e confirmar se ele foi mesmo o homem que abusou da menina.

Veja o local do acidente:


Exibir mapa ampliado

O caso

Segundo informações da polícia, o desempregado Kléber Barbosa da Silva, de 31 anos, roubou, por volta das 16h de quinta-feira, um avião de um aeroclube em Luziânia, cidade próxima a Brasília. Ele teria enganado o piloto dizendo que gostaria de realizar um voo panorâmico com a filha, Penélope Barbosa Correia, de 5 anos.

Quando chegou à pista do aeroclube, porém, Silva teria rendido o piloto e roubado a aeronave. Em conversa por celular com o cunhado, ele teria dito que queria se matar e matar a filha. Silva teria ainda ameaçado provocar uma "tragédia ainda maior".

Após duas horas e meia de voo, a aeronave caiu no estacionamento do Flamboyant Shopping Center, o maior da cidade de Goiânia, atingindo 12 carros. Ninguém ficou ferido.

Ainda não está claro se ele cometeu suicídio ou se o combustível da aeronave acabou. As investigações vão avaliar se, antes da queda, havia combustível na aeronave, que ficou completamente destruída, para verificar se a colisão foi realmente proposital. A polícia não descarta a possibilidade de que Silva queria jogar a aeronave contra o shopping. Ele e a filha morreram no choque.

Antes do roubo do avião, Silva teria jogado a mulher, Érica Correia dos Santos, de 24 anos, para fora do carro após uma briga. A agressão, segundo a polícia, aconteceu poucas horas antes de Silva roubar a aeronave. Érica, que estava internada no Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo) com escoriações, recebeu alta na manhã desta sexta-feira.

Veja o vídeo:

Leia mais sobre: queda de avião

    Leia tudo sobre: quedaqueda monomotor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG