Homem que fingia ser membro da família imperial japonesa para aplicar golpes é preso

SÃO PAULO - Rosário Kazuhaki Yamamoto, de 60 anos, foi preso na tarde desta quinta-feira, no bairro Vila Rica, na zona leste da cidade, acusado de aplicar golpes em mais de mil empresas na capital e na Grande São Paulo.

Redação |

Yamamoto dizia que era parente da família imperial japonesa e criou uma empresa chamada Centro Cultural Nikkey do Brasil e Japão, através da qual atraía as vítimas para a possibilidade de serem vinculadas a prestações de serviços para a comunidade japonesa no Brasil.

"Ele atuava em todo Brasil falando que era parente da família imperial. A polícia estava atrás dele fazia um mês. O acusado também aplicava golpes no Japão", afirmou o delegado titular do 41º DP, Arthur Frederico Moreira.

Por meio de informações de uma vítima, encontraram Yamamoto, que foi reconhecido pela mesma pessoa que o denunciou por estelionato.

De acordo com o delegado, o acusado "cobrava cerca de R$ 200 para fazer o serviço em empresas de qualquer ramo de atividade. Era um cara bem organizado e, com ele, foi encontrado um caderno cheio de cartões com nomes e telefones das vítimas", disse.

O delegado ainda ressaltou que Yamamoto não era conhecido apenas no Brasil. "Toda a colônia japonesa conhece ele, sua imagem está sendo veiculada para o mundo todo pela internet".

Leia mais sobre: Golpes

    Leia tudo sobre: golpes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG