LOS ANGELES (Reuters) - Um vendedor de seguros de Chicago foi condenado na segunda-feira a 30 meses de prisão por ter filmado vídeos da repórter esportiva Erin Andrews nua, através de olhos mágicos de hotéis, e ter postado os vídeos na Internet. Michael Barrett, 48 anos, declarou-se culpado por perseguir Andrews por um período de 18 meses e remover os olhos mágicos das portas de pelo menos três quartos de hotel para filmar a repórter nua, com seu celular.

Depois de um site de celebridades ter se recusado a comprar os vídeos, Barrett postou dez deles na Internet, identificando a repórter da ESPN como a vítima.

Barrett foi sentenciado à prisão por um juiz federal de Los Angeles na segunda-feira e terá que pagar indenização de 7.366 dólares a Andrews.

Na audiência da segunda-feira, Andrews, 31 anos, disse que ainda sente medo, ansiedade e humilhação pública em consequência da perseguição.

"Sou vitimidada diariamente, e não mereço isso", disse Erin Andrews, acrescentando que os vídeos provavelmente continuarão para sempre na Internet.

Barrett pediu desculpas, dizendo: "Não tenho palavras para expressar à senhorita Andrews o quanto lamento o que fiz a ela. Espero que algum dia ela me perdoe."

Erin Andrews, que foi eleita "jornalista esportiva mais sexy da América" pela revista Playboy em 2007 e 2008, será uma das celebridades participantes da próxima temporada de "Dancing With the Stars", da rede ABC, que começa em 22 de março.

(Reportagem de Jill Serjeant)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.