Identificado como Paulo Sérgio Ferreira, ele protestava contra a morte de negros no Brasil

Bandeira brasileira que teve uma parte queimada nesta quarta-feira, na praça dos Três Poderes
AE
Bandeira brasileira que teve uma parte queimada nesta quarta-feira, na praça dos Três Poderes
Depois de 4 horas, Paulo Sérgio Ferreira, de 38 anos, decidiu terminar o protesto que realizou nesta quarta-feira ao subir o mastro da bandeira brasileira que fica na praça dos Três Poderes, em Brasília. Ele chegou a queimar um pedaço da bandeira e por isso deverá ser processado por crime federal.

nullFerreira disse ser paulistano e afirmou que estava fazendo um protesto contra a perseguição e morte de pessoas da raça negra no País. Com frases desconexas, ele também xingou o líder do governo no Congresso Romero Jucá (PMDB-RR) de “assassino de negros” .

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, Ferreira subiu as escadas do mastro, que tem cerca de 120 metros de altura, por volta das 10h. Em seguida jogou um pedaço de papel com o seu número de telefone celular. Por telefone conversou com emissoras de televisão e relatou por que havia tentado queimar a bandeira.

Além do Corpo de Bombeiros, foi chamada para a o atendimento da ocorrência a Polícia Civil. Segundo o delegado Laercio Rossetto, Ferreira passaria por exames e depois seria encaminhado para prestar depoimento. Preso, o homem irá responder por crime de dano qualificado contra o patrimônio da União, por ter queimado a borda da bandeira. A pena é de três meses a seis anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.