Hillary diz pressionar Brasil em caso de guarda de menor

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse estar pressionando o governo brasileiro pelo retorno de um garoto de 8 anos para o convívio com seu pai biológico, que vive em Los Angeles. O menor vive hoje com o padrasto no Rio de Janeiro.

Agência Estado |


Em entrevista à rede norte-americana NBC, de Jerusalém, Hillary disse que David Goldman seguiu todas as regras "sob todas as leis internacionais de adoção conhecidas" e deveria ficar com a guarda de seu filho.

A mulher brasileira de Goldman levou o garoto com ela ao Brasil em 2004 e nunca retornou aos Estados Unidos. Ela se divorciou dele, casou novamente e morreu no ano passado, após dar à luz. O padrasto do garoto, o advogado João Paulo Lins e Silva, conseguiu a custódia do menor.

Goldman se encontrou no mês passado pela primeira vez com o filho em cinco anos. Ele e o padrasto travam uma batalha judicial pela guarda da criança. Os comentários de Hillary ocorrem duas semanas antes de uma visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a seu colega Barack Obama, em Washington.


Leia mais sobre custódia

    Leia tudo sobre: hillary clinton

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG