Heloísa Helena lança candidatura à Câmara de Maceió

A presidente nacional do PSOL, Heloísa Helena, teve homologada hoje a candidatura a vereador de Maceió, durante convenção do partido, realizada na sede da Coopclub, na capital alagoana. Na reunião, foi confirmado também o nome do engenheiro-agrônomo Mário Agra para disputar pela legenda a prefeitura da capital.

Agência Estado |

A decisão de Heloísa de candidatar-se a vereador causou surpresa entre militantes da sigla, que gostariam que ela concorresse pelo menos à prefeitura, uma vez que foi vice-prefeita da cidade na gestão do ex-prefeito Ronaldo Lessa, entre 1992 e 1996.

Depois de concorrer à Presidência da República, em 2006, contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e conquistar cerca de 6,5 milhões votos, Heloísa disputa este ano uma das 21 cadeiras na Câmara Municipal. A deputada Luciana Genro (PSOL-RS) também esteve presente ao encontro da agremiação. Luciana disse que o PSOL tem uma "grande responsabilidade" em lançar a presidente nacional do partido à Câmara.

"Colhemos meio milhão de assinaturas para conceber este partido. Todos as atenções estarão voltadas para Heloísa. Não é à toa que o diretório estadual do Rio de Janeiro lutou para tê-la candidata, mas Heloísa recusou. Alagoas agora tem a tarefa de fazê-la a vereadora mais votada destas eleições", afirmou a deputada do PSOL do Rio Grande do Sul, em discurso.

Para Heloísa, o cargo não é relevante, mas sim o que se pode fazer ao ocupá-lo. "Por isso, concorrerei à Câmara de Maceió e, caso eleita, trabalharei pela dignidade do maceioense, da mesma forma que agi quando fui senadora", afirmou. "Estou muito feliz em aproveitar essa oportunidade de, humildemente, tentar recomeçar, agora na Câmara de Vereadores. Será uma tarefa difícil porque terei de conquistar mais de 20 mil votos sozinha, sem alianças", ressaltou, lembrando ter cumprido a missão enquanto presidente nacional da legenda.

'Desigualdades'

"Vamos combater as desigualdades locais com uma candidatura propositiva e combativa", afirmou, em pronunciamento. Os militantes da sigla disseram que Heloísa optou pela candidatura proporcional para fortalecer a agremiação no município. "As candidaturas do PSOL neste ano não `abraçam' nem 10% do País. Mas nosso objetivo é inserir o partido nas lutas sociais. Não queremos firmar alianças a bel-prazer, apenas para garantir coeficiente eleitoral, a fim de eleger vereadores, ou para conquistar mais tempo no horário eleitoral gratuito", justificou a presidente nacional do PSOL.

Heloísa disse que pretende conciliar a atividade como professora do curso de enfermagem da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) com a campanha política. "Pelo menos no início, são dois dias como professora e cinco nas ruas em busca do voto", declarou. A presidente do PSOL prosseguiu afirmando que deve manter o discurso crítico que a caracterizou no Senado. "Vamos combater, implacavelmente, a corrupção, buscando mecanismos capazes de proporcionar saúde, educação, segurança pública, emprego e geração de renda para a população carente de Maceió", prometeu.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG