A declaração da candidata do PT, Dilma Rousseff, sugerindo uma dobradinha com o governador de Minas Gerais, o tucano Antonio Anastasia, já está causando problemas concretos. A cúpula do PMDB marcou uma reunião para a próxima semana a fim de cobrar uma definição do PT sobre a aliança em Minas Gerais. Pré-candidato ao governo do Estado, o ex-ministro das Comunicações Hélio Costa disse ao iG que o PT precisa resolver o embaraço causado por Dilma e ameaça inclusive, com o rompimento da aliança.


Além de Costa, os petistas Fernando Pimentel e Patrus Ananias também querem disputar o governo e Minas. Por conta disto, o palanque para Dilma no segundo maior colégio eleitoral do país ainda está indefinido.

O PMDB está só observando. O partido merece mais atenção da campanha, disse o ex-ministro, lembrando que o PMDB é o partido que garante mais tempo de propaganda para a petista.

iG: Senador, como o senhor viu a declaração da ministra Dilma sugerindo uma dobradinha com o tucano Anastasia, em Minas?

Hélio Costa: Olha, me comprometi a não falar mais sobre isso. Tem dias que é melhor a gente não sair de casa. Ontem foi um dia desses. Não fiquei surpreso com a declaração dela, mas o PMDB está só observando. O nosso partido merece atenção da campanha e vamos discutir isso.

iG : Mas o senhor se comprometeu com quem?

Hélio Costa: Comigo mesmo. Agora não é a hora de falar sobre isso.  A candidata é do PT, o problema é do PT, ele que resolva.

iG: Quando será a hora?

Hélio Costa: Pedi ao PMDB aqui em Minas uma reunião amanhã (sexta-feira). Na semana que vem, terça ou quarta, vamos nos reunir em Brasília para definir a situação em Minas e falar sobre isso. Ou resolve ou resolve. Não dá mais para esticar esta questão.

iG: O PMDB pode vir a dar palanque para o candidato José Serra em Minas?

Hélio Costa: Não vou mais me comprometer com isso. Agora, se o PT não quiser conversar com os aliados, que nos avise para que o PMDB tome outro rumo. O PT está falando e o PMDB está só observando. Acho que o PMDB merece um pouco mais de atenção da campanha da ministra.

Leia mais sobre eleições

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.