Hélio Costa diz que em Minas só cabe uma candidatura

BRASÍLIA - O ministro das Comunicações, Hélio Costa, saiu empolgado da reunião de seu partido, o PMDB, com o PT nesta quarta-feira na casa do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP). No encontro, foi criada uma comissão dos dois partidos para acertar, nos Estados, os detalhes da aliança nacional em torno da candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Tales Faria, iG Brasília |

Agência Brasil
Hélio Costa (imagem de arquivo)
Hélio Costa (imagem de arquivo)

Primeiro colocado nas pesquisas para governador de Minas Gerais, o ministro peemedebista, que viaja na quinta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Venezuela, avisa: "se não houver um só candidato do campo governista no seu Estado, tanto o PT como o PMDB vão sair derrotados".

Leia abaixo a entrevista que o ministro das Comunicações concedeu ao iG Brasília:

iG - Fala-se na candidatura de petistas como Patrus Ananias e Fernando Pimentel a governador. Há espaço para uma candidatura do PMDB e outra do PT em Minas?

Hélio Costa - Não. Não há espaço. Se tivermos duas candidaturas, não elegemos nem o governador nem a nossa candidata a presidente da República.

iG - E o senhor acha que vai haver acordo?

Hélio Costa - Claro que acho. Saí muito otimista da casa do Michel. No campo nacional a coisa está indo muito bem, tanto que tiramos essa comissão para discutir todos os casos regionais. Vai dar certo.

iG - E qual o caminho em Minas?

Hélio Costa - O PMDB só tem uma exigência: que ninguém faça exigências. Não dá para virem falando em cabeça de chapa, por exemplo. Eu, que tenho 45% das intenções de voto, não tenho falado nisto, então ninguém tem o direito. O resto a gente resolve.

Leia mais sobre eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010política

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG