Helicóptero do Brasil parte para buscar reféns das Farc

BOGOTÁ (Reuters) - Um dos três helicópteros disponibilizados pelo Brasil para uma missão humanitária que resgatará reféns das Farc partiu neste domingo a algum lugar da selva colombiana para receber quatro membros das Forças Armadas que estão sequestrados, informou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). A aeronave, com os emblemas da Cruz Vermelha Internacional, saiu do aeroporto do cidade de Florência, capital do departamento de Caquetá, no sul da Colômbia, por volta das 11h15 (horário de Brasília), em direção a algum ponto da selva para buscar três policiais e um soldado.

Reuters |

"Todos estão em bom estado de saúde", disse antes de partir a senadora Piedad Córdoba, que coordena a missão humanitária que receberá na selva os três efetivos da polícia e o soldado do Exército.

Esta é a primeira liberação unilateral de reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia desde fevereiro de 2008, quando as Farc entregaram quatro políticos a uma missão humanitária liderada pela Venezuela.

Os reféns que serão libertados são os policiais Juan Fernando Galicia, Walter José Lozano e Alexis Torres Zapata, todos sequestrados em 9 de junho de 2007, quando se deslocavam entre os municípios de Paujil e Cartagena del Chairá, no departamento de Caquetá.

Além deles, o soldado William Dominguez Castro, capturado pelos rebeldes em 20 de janeiro de 2007, também no departamento de Caquetá, será solto.

As Forças Militares e de polícia suspenderam suas operações na área onde acontecerá a entrega, uma ampla região de selva com forte presença das Farc e cenário de intensas ações das tropas do governo contra a guerrilha e o narcotráfico.

Com a liberação unilateral, as Farc buscam ganhar espaço político e apoio internacional, depois de ataques realizados pelas forças de segurança terem resultado na morte de importantes líderes do grupo e no resgate de Ingrid Betancourt, segundo analistas.

Os familiares dos quatro efetivos das Forças Armadas viajaram ao aeroporto da cidade de Villavicencio, a capital do departamento de Meta, para receber aos parentes, que deveriam chegar por volta de 15h (de Brasília).

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG