Helen Mirren e Meryl Streep centram atenções no Festival de Roma

Miguel Cabanillas. Roma, 23 out (EFE).- A atriz britânica Helen Mirren e a americana Meryl Streep foram hoje o grande destaque do encerramento da quarta edição do Festival Internacional de Cinema de Roma, ao receberem prêmios por seus trabalhos na grande tela.

EFE |

Apesar de o anúncio ter sido feito já há alguns meses, o Marco Aurélio de Ouro pelo conjunto da obra recebido hoje por Meryl Streep foi um dos mais aplaudidos na capital italiana, que também viu com entusiasmo a premiação a Helen Mirren.

A veterana atriz britânica recebeu o Marco Aurelio de Prata de melhor atriz do festival por seu papel no filme "The Last Station", uma produção alemã dirigida pelo americano Michael Hoffman que competia na seção oficial junto a outros 13 longas.

No filme, Helen Mirren dá vida a Sofia Tolstoy, mulher do conhecido escritor russo Leon Tolstoi, que luta para manter seus privilégios de nobre depois que seu marido abriu mão deles e decidiu passar a ser pobre e vegetariano.

Sobre o palco da Sala Sinopoli do Auditorium Parco della Musica, a britânica, que recebeu o Oscar de melhor atriz em 2007 por sua interpretação como a rainha Elizabeth II da Inglaterra em "A Rainha", agradeceu o prêmio ao diretor e aos outros atores.

Com um discurso escrito em italiano, Helen Mirren leu como pôde as palavras que já trazia preparadas para louvar o cinema italiano, que, segundo ela, despertou sua paixão pela sétima arte.

A britânica, que mencionou nomes como os da atriz italiana Sofia Loren, disse que era uma grande honra receber o que chamou de "esplêndido" prêmio, especialmente por ser no coração da história e do universo cinematográfico da Itália.

Pouco após ela, subiu ao palco Meryl Streep, em um final de cerimônia emocionante no qual a americana lembrou alguns outros nomes da cena italiana.

Ao lamentar não poder falar em italiano, a americana quis dedicar o prêmio a seu marido e a seu amigos, que, segundo ela, a acompanharam espiritualmente durante o festival.

"Em 30 anos devolvi todos os empréstimos que recebi enquanto estudava. Agora sinto só uma imensa gratidão porque uma atriz não é nada, senão alguém que escuta e fala. Por isso precisamos de escritores, diretores e produtores. Precisamos uns dos outros", disse a atriz, que apresentou em Roma seu último filme, "Julie & Julia".

O encarregado de entregar o Marco Aurélio de Ouro ao conjunto da obra foi o cineasta italiano Giuseppe Tornatore, que definiu Meryl Streep como uma "atriz extraordinária" que não deixa de surpreender e "ensinar coisas maravilhosas".

O júri do Festival de Cinema de Roma, presidido pelo diretor tcheco Milos Forman, decidiu entregar o Marco Aurélio de Ouro de melhor filme a "Brotherhood", do jovem ítalo-dinamarquês Nicolo Donato.

O filme italiano "L'uomo che verra", dirigido por Giorgio Diritti, recebeu o Grande Prêmio Marco Aurélio de Prata de melhor longa assim como o Marco Aurélio de Ouro dado pelo público.

O prêmio de melhor ator foi para o também italiano Sergio Castellitto, por sua interpretação em "Alza la Testa".

Em pleno crescimento para chegar a ocupar espaço entre os grandes eventos mundiais, o Festival de Cinema de Roma já mira uma quinta edição, que será realizada de 29 de outubro a 6 de novembro de 2010, e que busca dissociá-lo cada vez mais da consagrada Mostra de Veneza. EFE mcs/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG