HC avalia suplementação para tratar pacientes com artrose no joelho

O departamento de Reumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) está fazendo um estudo que pode ajudar mulheres que sofrem de artrose no joelho. Pela primeira vez, será testada a associação da atividade física em aparelhos de musculação com a suplementação de creatina.

Agência Estado |

O objetivo é comprovar que a suplementação com creatina vai diminuir o tempo de reabilitação.

Durante três meses, 40 mulheres na faixa etária de 50 a 60 anos vão se submeter a esse tratamento. O reumatologista Manoel Neves, que coordena o estudo, informa que esse problema no joelho tem uma incidência discretamente maior em mulheres. Caracterizada pelo desgaste na cartilagem, a artrose provoca o atrito entre os ossos, causando dor na articulação, fraqueza muscular (especialmente na coxa) e hipotrofia dos músculos, podendo levar à dificuldade de caminhar.

A chamada artrose primária é causada por um desgaste natural do organismo, e é mais comum a partir dos 50 anos. Já a secundária geralmente decorre da artrite reumatoide ou outras doenças que atingem a articulação. Os obesos têm maior propensão para desenvolver artrose por causa da sobrecarga de peso. Sabe-se que a atividade física previne as perdas musculares da artrose. Mas o que o reumatologista Manoel Neves propõe é a sua associação à creatina, substância produzida pelo organismo, que fortalece os músculos. "Queremos comprovar que a suplementação com creatina vai diminuir o tempo de reabilitação." Se o resultado for positivo, essa será uma ótima alternativa para a imensa população feminina que tem artrose.

Fabiana Caso

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG