Haddad diz que MEC não pode interferir na ocupação da reitoria da UnB

BRASÍLIA - O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse hoje (8) que o ministério acompanha com ¿alguma apreensão¿ a ocupação da reitoria da Universidade de Brasília (UnB) pelos estudantes que pedem a renúncia do reitor Timothy Mullholand. Haddad afirmou que o ministério está à disposição da comunidade acadêmica, mas que precisa respeitar a autonomia da universidade.

Agência Brasil |

A nossa capacidade de interferência é limitada pela própria legislação, que garante que a universidade é um espaço autônomo, nas esferas acadêmica e administrativa, explicou.

Desde a quinta-feira (3), estudantes ocupam o prédio da reitoria. Ontem (7) o movimento foi ampliado. Os alunos, que agora dominam todo o local, garantem que não farão a desocupação enquanto o reitor não se afastar do cargo. Timothy está sendo investigado por ter usado verba destinada à pesquisa para reformar o apartamento funcional que ocupava.

Segundo Haddad, ainda não chegou ao ministério uma demanda oficial, por parte da academia ou dos estudantes, para participar da negociação. Ele salientou que a solução para o conflito está na abertura do diálogo.

A comunidade precisa estabelecer imediatamente um clima de diálogo e isso passa conseqüentemente pela desocupação da reitoria , defendeu.

Haddad disse ainda que não se deve admitir violência no campus. Na última sexta-feira (4) a Justiça expediu mandato de reintegração de posse, que ainda não foi executado pela Polícia Federal. Em entrevista na manhã de hoje (8), Timothy reafirmou que não deixará o cargo.

    Leia tudo sobre: reitoriaunb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG