Guia teria pedido para jovem se maquiar para não ser barrada no voo de volta ao Brasil

Meninas que viajaram na excursão à Disney com Jacqueline Ruas, que morreu no voo de retorno ao Brasil, disseram ao programa Fantástico, da Rede Globo, que quando o grupo deixou o hotel para ir ao aeroporto, recebeu da guia Gisele dos Santos a orientação de que se maquiassem. ¿Para que não estejamos com cara de abatida, para que não sejamos barradas lá¿, disse Laryssa, uma das jovens do grupo.

Redação |

Jacqueline teria recebido outra recomendação da guia: ela pediu para colocar o óculos escuros, para ela não ser barrada no avião. Ela estava com olho fundo, ela estava com olheira. Nossa, ela parecia muito ruim, disse Fernanda. O Sindicato dos Aeronautas afirma que isso pode ter impedido que Jacqueline fosse atendida corretamente.

A TV diz ainda que, em nota, a agência Tia Augusta nega as informações relatadas pelas meninas. "Não é verdade a história sobre uso de maquiagem ou de óculos escuros antes do embarque.", diz a resposta, acrescentando que é do interesse da empresa o esclarecimento dos fatos.

Os pais de Jacqueline também revelaram à reportagem que não foi revelado que a menina sofria com uma pneumonia. Segundo os pais, uma funcionária da agência só ligou três dias depois dos primeiros sintomas e contou que Jacqueline tinha apenas uma gripe forte, como outros 15 adolescentes do grupo. Em momento algum foi relatado pneumonia, diz Maria Aparecida Ruas, mãe da menina.

Para o pai, a autorização para retorno ao País surpreende. Foi uma surpresa para nós ela ter sido liberada doente do hospital, ter embarcado doente, e ter trocado de avião numa cadeira de rodas, doente, diz Danilo Ruas, pai de Jacqueline.

Leia mais sobre Jacqueline Ruas


    Leia tudo sobre: brasileuameninamortepneumoniavôo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG