Guerra diz a Aécio que PSDB define prévias em 2 meses

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), assegurou ao governador de Minas Gerais, Aécio Neves, que dentro de dois meses estarão definidas as regras para a realização das prévias do partido destinadas a escolher o candidato tucano à sucessão presidencial de 2010. No encontro que tiveram esta semana, em Belo Horizonte, Aécio cobrou pressa da cúpula partidária em relação às prévias e acertou um roteiro de viagens com o objetivo de tornar viável seu nome dentro do PSDB.

Agência Estado |

Ele foi categórico ao afirmar que não aceitará ser "atropelado" pelo governador de São Paulo, José Serra, ao longo do processo de escolha do candidato ao Planalto.

Ao pedir agilidade na definição das prévias, o governador, segundo interlocutores tucanos, estaria provocando Serra, que não seria simpático à eleição interna. Para começar sua campanha, Aécio Neves combinou um roteiro com Sérgio Guerra: nos próximos dias, eles vão visitar o sertão nordestino, iniciando o périplo por Petrolina (PE). Guerra relatou que, na conversa, Aécio reafirmou a candidatura e disse que vai reservar parte de sua agenda para se dedicar à campanha.

A direção nacional do PSDB trabalha pelo entendimento entre Aécio e Serra, pois isso evitaria a realização de prévias e desgastes internos. "Mas, se for preciso, elas serão feitas", vem repetindo Guerra. Ele negou ter comunicado ao governador mineiro que a maioria da cúpula já decidira favoravelmente a Serra. Desde que seu nome despontou como favorito nas pesquisas de intenção de voto, Serra tem assumido uma postura mais agressiva para se fortalecer. A mais recente foi a nomeação de Geraldo Alckmin, aliado de Aécio, para seu secretariado.

Mais do que ficar irritado com o gesto, o mineiro se viu desgastado politicamente no noticiário, com a repercussão negativa junto ao eleitorado de seu Estado. A imprensa avaliou que a nomeação de Alckmin enfraqueceu Aécio e fortaleceu Serra no PSDB. Preocupado com sua imagem em Minas, que sonha em vê-lo candidato ao Planalto, Aécio se queixou a parlamentares mineiros. Ao mesmo tempo, não fez reparos à atitude de Serra de acolher Alckmin.

Favorito

Com uma posição sólida no PSDB paulista, Serra é também o favorito do DEM e do PPS, parceiros dos tucanos que aguardam uma rápida definição do nome do candidato tucano ao Planalto. Mas a cúpula do PSDB atua com cautela, mesmo porque tem tempo para resolver o assunto. Setores da oposição atribuem as intrigas no PSDB ao Planalto, que teria por objetivo aumentar os atritos entre Serra e Aécio para causar desgastes e diminuir as chances do PSDB em 2010.

Guerra disse que teve uma "conversa franca e tranquila" com Aécio, que, mais uma vez, reiterou a disposição de apresentar seu nome ao partido. "A direção do PSDB será totalmente isenta", afirmou o presidente do partido ao governador, acrescentando que não há definição nenhuma sobre o nome do candidato.

Leia mais sobre: eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG