O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE) - em videochat para usuários da rede de microblogs Twitter -, atribuiu o crescimento da ministra Dilma Rousseff (PT) na pesquisa CNI/Ibope ao enfraquecimento das candidaturas do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) e da senadora Marina Silva (PV-AC). A pesquisa divulgada hoje traz números de março.

As duas anteriores forem feitas em setembro e novembro. Guerra preferiu ignorar os números de novembro e se ater à comparação entre os cenários entre setembro e março - período em que Dilma subiu 15 pontos porcentuais, passando de 15% para 30% das intenções de voto.

"A Dilma subiu", reconheceu, antes de completar. "Sabe de onde veio o voto da Dilma? 6 pontos do Ciro, 2 pontos da Marina, que não fizeram campanha. Só quem faz campanha é a Dilma", criticou, de acordo com a assessoria de imprensa do PSDB.

A pré-candidata do PT estava com 15% em setembro, subiu para 17% em novembro e agora tem 30% das intenções de voto. Serra permaneceu estável: tinha 35% em setembro, subiu para 38% em novembro e voltou para 35%. Ciro Gomes, por sua vez, tinha 17% das intenções de voto em setembro, caiu para 13% em novembro e para 11% neste mês. Marina Silva, que começou com 8% em setembro, caiu para 6% em novembro e manteve o mesmo porcentual em março.

Pelo raciocínio de Guerra, portanto, Dilma subiu 14 pontos com votos antes classificados para Ciro, Marina, brancos/nulos e indecisos. A diferença para os 15 pontos que a ministra realmente ganhou pode ser creditada a arredondamentos de porcentuais do instituto de pesquisa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.