Guardas municipais de Salvador não trabalham por falta de farda

SALVADOR - Pelo menos 300 guardas municipais de Salvador encontram dificuldades de sair às ruas por falta de fardamento. Eles recebem os vencimentos mensais, mas não prestam qualquer serviço à população soteropolitana. O número pode ser ainda maior, já que a estimativa da cúpula da instituição é que os ¿sem farda¿ cheguem a 350 pessoas. Em vez do trabalho de patrulhamento de vias e vigilância do patrimônio público da cidade, esses servidores públicos vêm cumprindo o expediente na sede da corporação, localizada na Avenida San Martin, em Salvador.

Agência Nordeste |

O contingente dos sem farda atinge, no mínimo, 21,2% do efetivo da instituição, que é ligada à Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Sesp). O gerente de operações da Guarda Municipal, coronel Cristovam Pinheiro, diz ter se reunido com representantes da empresa fornecedora do material, a Central de Negócios Comércio Ltda. O representante da empresa me afirmou ter tido dificuldades em obter a matéria-prima com seus fornecedores, e daí o atraso na entrega dos uniformes. Porém eu não posso cobrar diretamente porque não foi a Guarda que realizou a licitação, explica o coronel.

Leia mais sobre: guarda municipal - Salvador

    Leia tudo sobre: guarda municipalsalvador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG