Guarda ambiental terá bombeiros e PMs, diz Minc

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse hoje que conversou com 14 governadores sobre a nova posição do governo federal em relação à Guarda Nacional Ambiental, proposta que levou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao assumir o cargo. A idéia original, de formar uma tropa nos moldes da Força Nacional de Segurança (FNS), foi descartada após reunião de Minc com o ministro da Justiça, Tarso Genro.

Agência Estado |

"Formatamos a nova posição ontem de manhã com o Tarso. Vai ser preventiva e vai contar com bombeiros e policiais militares dos batalhões florestais", disse. "Ontem falei com 14 governadores, que adoraram a idéia." Blairo Maggi, do Mato Grosso, não está entre eles.

Segundo Minc, Lula vai criar por decreto a função de guarda-parque, como fez no Rio o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB). "Também vai haver recursos para aparelhar os corpos de bombeiros dos Estados, que vão ajudar a cuidar dos parques federais, e os Batalhões Florestais, que vão fornecer soldados para ações do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) em todos os Estados", afirmou o ministro.

Segundo ele, os Estados que receberem recursos deverão, como contrapartida, ceder de 20 a 25 bombeiros, cada, para cuidar dos parques federais. Já os Batalhões Florestais, em troca do apoio material e da inclusão de soldados no Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça, cederiam cerca de 100 policiais para ações preventivas do Ibama. A soma, porém, chegaria a "milhares" nos dois casos, segundo o ministro. "Vamos ter milhares de bombeiros defendendo parques e milhares de soldados atuando com o Ibama na prevenção."

A reportagem perguntou a Minc se a mudança em relação à proposta original foi uma derrota do ministério. "A FNS já está atuando conosco na operação Arco de Fogo com 400 pessoas. O que estava faltando mais era uma força de natureza ambiental e preventiva, incentivando bombeiros e batalhões. Minha tarefa agora é falar com todos os governadores. Esse vai ser o caminho", respondeu. Sobre o governador Blairo Maggi, ele disse: "Mantemos as nossas diferenças, mas vamos trabalhar juntos na prevenção do desmatamento".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG