Um grupo de deputados paulistas quer mudar o parágrafo 2º do artigo 11 da Constituição Estadual, que veda a reeleição do presidente e dos demais membros da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa. O grupo tem feito consultas internas, mas a proposta enfrenta resistência de lideranças partidárias e do governador José Serra (PSDB).

Pode ser barrada, caso seja levada a votação.

O artigo 11 diz que os membros da Mesa "serão eleitos para um mandato de dois anos" e "é vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subseqüente" dentro da mesma legislatura. Para mudar o texto, a Mesa tem de apresentar projeto de emenda constitucional, que precisa ser aprovado em duas sessões por pelos menos 57 dos 94 deputados.

Mesmo considerada assunto espinhoso, a possibilidade de reeleição é defendida publicamente por parlamentares que integram a base de governo, como Campos Machado (PTB), e por petistas da oposição, como Donisete Braga (PT), o primeiro secretário da Mesa. A proposta foi também defendida por uma comissão criada no ano passado para fazer alterações no regimento interno da Assembléia. "Fizemos um levantamento e descobrimos que em 13 Estados a reeleição é permitida. Mas acho difícil que isso passe, pois há muita resistência interna", afirmou o deputado Jonas Donisete, líder do PSB e responsável pela comissão revisora do regimento.

A proposta beneficiaria diretamente o atual presidente da Assembléia, Vaz de Lima (PSDB), que poderia concorrer novamente ao posto em março do ano que vem, quando ocorre a eleição para composição da Mesa. Ao mesmo tempo, serviria para minar os planos do líder do governo, Barros Munhoz (PSDB), nome cotado para a sucessão, mas que enfrenta resistências por estar em seu primeiro mandato. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.