O grupo Bring S. Home (Traga S.

para Casa) pretende reunir 200 pessoas em Washington para protestar na frente da Casa Branca, durante o encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente americano, Barack Obama, no sábado. “Queremos passar um recado para os dois presidentes: o caso S. não vai sumir, não vamos descansar enquanto S. não estiver dentro do avião rumo aos Estados Unidos”, diz Mark De Angelis, organizador do protesto.

O congressista Chris Smith, de New Jersey, vai participar do protesto em defesa do americano David Goldman, que luta há mais de quatro anos pela devolução de seu filho, S., de 8 anos. David casou-se com a brasileira Bruna Bianchi Ribeiro em 1999 e em 2000 nasceu o filho deles, nos EUA. Quatro anos depois, Bruna levou o filho para o Brasil e pediu o divórcio. Bruna morreu em decorrência de complicações do parto da filha de seu segundo casamento, em 2007, com o advogado João Paulo Lins e Silva, que conseguiu a guarda de S.

A batalha de Goldman para recuperar seu filho ganhou repercussão nos EUA e se transformou em saia-justa diplomática para o Brasil. O País já foi citado três vezes pelo Departamento de Estado como um dos países que cumpre apenas parcialmente a Convenção de Haia para sequestro internacional de crianças. Neste ano, será citado de novo. “O governo brasileiro precisa cumprir suas obrigações e mandar S. de volta para seu pai. S. é uma dos 60 crianças americanas retidas ilegalmente no Brasil. Chegou a hora de acabar com essa grave injustiça”, diz o folheto distribuído pelo grupo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.