O grupo inglês The Kooks se apresenta esta noite no Via Funchal, em São Paulo, com seu puro garage rock, deleite puro. O grupo só tem dois discos.

O mais recente, Konk, foi gravado em seis semanas no final de 2007 no estúdio Konk, de Ray Davies, dos Kinks, em Londres. O líder da banda, Luke Pritchard, tem aquela voz de garoto imberbe e esganiçado que se popularizou com o rock pós-Libertines, e manda muito bem nas guitarras e escreve todas as letras. É filho do músico inglês Bob Pritchard, que morreu quando o garoto tinha apenas 3 anos.

O grupo tem, além de Luke, Hugh Harris (guitarra), Dan Logan (baixo) e Paul Garred (bateria). O nome da banda foi tirado da canção homônima do álbum de David Bowie de 1971, Hunky Dory (Soon you’ll grow so take a chance/With a couple of kooks/Hung up on romancing). O grupo foi formado na faculdade, na metade dos anos 2000 - os integrantes estudavam no Brighton Music College. O grupo começou a aparecer nas paradas britânicas ao mesmo tempo que o bombado (na época) Arctic Monkeys, mas não logrou tanta badalação.

Em 2005, emplacaram a romântica "You Don’t Love Me" no Top 20 das emissoras. Em 2006, estrearam em disco com "Inside in/Inside Out", que tornou famoso o single Naïve, número 5 nas paradas naquele verão. No mesmo ano de 2006, seus integrantes já tocavam como estrelas no festival South by Southwest, em Austin, Texas. Apesar de transitar no rock system inglês, Pritchard disse que uma das pessoas mais inspiradoras com a qual travou contato foi com Debbie Harry (Blonde). Segundo Pritchard, Debbie lhe falou de como uma banda se tornava realmente importante na vida de alguém. As informações são do Jornal da Tarde .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.