Grupo diz que 17 mil espécies correm risco de extinção

Um raro sapo do Panamá, um roedor de Madagáscar e dois lagartos encontrados apenas nas Filipinas estão entre as mais de 17 mil espécies ameaçadas de extinção no mundo, afirmou hoje a União Internacional para a Conservação da Natureza, um grupo ambientalista. A entidade, sediada na Suíça, pesquisou 47.

Agência Estado |

677 animais e plantas para sua "Lista Vermelha" deste ano. Há, de acordo com o grupo, 17.297 espécies em risco de extinção.

Mais de um quinto de todos os mamíferos, mais de um quarto dos répteis e 70% das plantas estão ameaçados, segundo a pesquisa. O sapo Rabb, descoberto há apenas quatro anos, é uma das 1.895 espécies de anfíbio que poderiam desaparecer em breve, pelo desflorestamento e por doenças. O tigre também entra na lista, já que só existem 3.200 desses animais na natureza, e o hábitat deles na Ásia diminui em razão do avanço do homens sobre as terras onde eles vivem.

A relação divulgada pela União Internacional para a Conservação da Natureza ajuda governos e organismos internacionais a decidirem quais espécies precisam de proteção legal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG