Apesar de já ter angariado apoio em vários grupos no PT, o ex-tesoureiro Delúbio Soares terá de enfrentar resistências na esquerda petista em seu esforço para voltar aos quadros do partido. Se depender de alguns setores da legenda, o pedido de refiliação apresentado por ele nem sequer será incluído na pauta da próxima reunião do Diretório Nacional, em maio.

A promessa de levar o assunto a debate foi feita pelo presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP). Anteontem, ele recebeu de Delúbio uma carta em que o ex-petista avalia que a pena de expulsão imposta após o escândalo do mensalão foi dura demais diante dos erros cometidos.

Representante da corrente Democracia Socialista, o secretário de Formação Política do partido, Joaquim Soriano, avisa que pretende se posicionar contra a análise do pedido. “Este é um assunto que não deve sequer ser discutido. Vou propor que não entre na pauta.” A posição será seguida pela corrente Articulação de Esquerda, afirma Angélica Fernandes, também membro do Diretório Nacional. “Isso não deveria voltar à pauta do PT. É um assunto esgotado, que não agrega mais nada.”

Delúbio, entretanto, terá ajuda em várias alas do PT. Desde o ano passado, ele começou a angariar apoio dentro da corrente Construindo um Novo Brasil, antes conhecida como Campo Majoritário, que o tinha como um de seus integrantes. O grupo tem 42% dos 81 votos no Diretório Nacional. Mas dirigentes reconhecem que nem mesmo nesse grupo a volta é consenso. Alguns membros da corrente Novo Rumo para o PT, que reúne petistas ligados à ex-ministra Marta Suplicy e alguns aliados do ex-ministro José Dirceu, também prometem apoiá-lo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.