Grupo assalta na saída de banco e foge de metrô em São Paulo

Quadrilhas especializadas na chamada ¿saidinha de banco¿ aterrorizam quase diariamente clientes que sacam dinheiro de caixas de agências bancárias próximas de estações do metrô em São Paulo.

Agência Estado |

Após o assalto, bandidos entram na estação mais próxima, onde se misturam à multidão e escapam. Embora a saidinha de banco não seja um crime novo, a forma como ladrões vêm agindo nessas regiões dificulta sua identificação.

Os bancos não se responsabilizam por assaltos cometidos fora das agências e agentes da Companhia do Metropolitano de São Paulo não podem deter os bandidos, uma vez que os crimes ocorrem fora das estações.

 Esse tipo de crime é registrado como roubo pela Secretaria da Segurança Pública e, geralmente, as vítimas não fazem boletim de ocorrência. Esse tipo de crime vem crescendo e é difícil de combater, admite o presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada de São Paulo (Sesvesp), José Adir Loiola.

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) informou que não sabia de assaltos recorrentes perto de estações, mas vai procurar o comando da PM para coibir esses crimes.

O Metrô salientou que já faz um trabalho com a polícia, além de contar com vigias uniformizados e à paisana. Mas pede que usuários que presenciarem situações suspeitas avisem os seguranças. A PM informou que tem conhecimento desse tipo de crime e prometeu passar hoje mais dados sobre ações que vem realizando.

Leia mais sobre roubos

    Leia tudo sobre: roubos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG