Gripe suína: Sudeste concentra leitos para tratamento

O plano de preparação do País para enfrentar uma pandemia - epidemia generalizada - de influenza (vírus da gripe, sendo que uma das variações é responsável pela gripe suína) apontava em 2005, quando foi concluído, necessidades de avanços do Sistema Único de Saúde (SUS) para combater a doença. Entre os problemas estavam a concentração de leitos de isolamento no Sudeste, onde há concentração de serviços e investimento em tecnologia.

Agência Estado |

O plano está no guia de informações sobre a doença incluído ontem pelo ministério em seu site .

De acordo com o documento, dadas as características atuais da rede hospitalar brasileira, 38% dos leitos de isolamento (1.262) estavam no Sudeste em 2005. Dos 51 hospitais de referência para o atendimento a doença, disponibilizados ontem na página do ministério, 28 estão no Sudeste. O plano também já informava, na época, sobre a necessidade de melhora do controle adequado de infecções nos hospitais nacionais - não há pesquisas nacionais recentes sobre o tema.

“O plano é um ponto de partida para se retomar as medidas necessárias”, afirma o infectologista Expedito Luna, que participou de sua elaboração e hoje é professor da Faculdade de Saúde Pública da USP. O Ministério da Saúde não comentou detalhes do documento ontem. “O plano está pronto e estamos seguindo todos os procedimentos”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Gerson Penna, em entrevista coletiva. O documento foi elaborado a partir de orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) aos países membros.

O Ministério da Saúde anunciou que acompanha o estado de saúde de 11 pessoas que estiveram em países afetados pela gripe suína. Três delas estão no Hospital das Clínicas, em Minas Gerais. Há ainda duas no Rio de Janeiro, duas no Amazonas, duas no Rio Grande do Norte, uma em São Paulo e outra no Pará. Nenhum paciente, segundo o ministério, preenche a definição de caso suspeito conforme os critérios estabelecidos. A pasta ressaltou que, até o momento, não há evidências da circulação do vírus no Brasil.

A gripe suína já tem casos confirmados nos Estados Unidos, na Espanha, na Inglaterra e no Canadá. No México, mais de 150 pessoas já morreram com suspeita da doença. Ontem, a Organização Mundial de Saúde elevou para 4 o nível de alerta por conta da doença, aproximando o alerta do nível de pandemia, ou epidemia generalizada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG