Gripe suína: RJ recebe 2º grupo que viajou com infectado

Oito pessoas que estavam em um grupo de brasileiros que participaram de um evento esportivo em Cancún, no México, onde estava o jovem carioca que contraiu o vírus da gripe suína - Influenza A (H1N1) -, desembarcaram hoje no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) no Rio de Janeiro. Ao contrário do que ocorreu com parte do grupo que desembarcou ontem, a aeronave do voo 0905 da American Airlines não parou na área remota ao lado do Centro de Triagem da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e nenhum passageiro foi colocado em quarentena domiciliar voluntária.

Agência Estado |

Ao desembarcar, eles foram perguntados apenas se sentiam os sintomas e alguns preencheram um formulário informando endereço, telefone para contato e a poltrona que ocupara no voo.

"Os técnicos da Anvisa entraram em contato com a minha família antes da minha chegada. Em Cancún e Cozumel, no México, e nos Estados Unidos as pessoas levam a vida normalmente. O caso do rapaz está ligado à escala que ele vez na Cidade do México. Nossos parentes é que não pararam de ligar assustados com as notícias da imprensa aqui", disse o comerciante Ivo Graeter, que após torneio no México viajou com a família por uma semana para os EUA.

Apenas dois passageiros que não se identificaram desembarcaram usando máscaras. Ambos alegaram "precaução", apesar de os epidemiologistas descartarem a necessidade da máscara para evitar a contaminação. De acordo com o coordenador de Portos e Aeroportos da Anvisa, Marcelo Felga, o esquema montado pela agência e pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde "aumentou a sensibilidade" e conta com 80 agentes no aeroporto e oito bombeiros para inspecionar todos os voos internacionais e entrevistar individualmente todos os passageiros. No entanto, alguns relataram que receberam apenas folhetos com informações sobre a gripe suína.

Alta hospitalar

O primeiro paciente do Rio de Janeiro infectado pela gripe suína, um adulto jovem morador da Ilha do Governador, deve receber alta na quarta-feira, depois de cumprir dez dias de isolamento. De acordo com o boletim médico do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, ele está sem sintomas e aguarda internado porque, em tese, ainda pode transmitir a doença.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG