Gripe suína: mortes no País chegam a 368, diz Ministério

No período entre 25 de abril e 15 de agosto, o Brasil registrou 368 mortes pelo vírus da gripe suína, informou hoje o Ministério da Saúde. Do total de mortes decorrentes do vírus influenza A (H1N1), 185 (50,3%) tinham fator de risco, incluindo gestação.

Agência Estado |

No grupo de risco estão as doenças metabólicas e respiratórias, cardiopatias crônicas, hipertensão arterial e imunodepressão (pessoas com o sistema imunológico debilitado, como pacientes de câncer e Aids), além de gravidez. A taxa de mortalidade dos casos graves confirmados para o novo vírus no Brasil é de 0,19 óbitos por 100 mil habitantes.

De todos os 3.087 casos graves confirmados para influenza A (H1N1), 283 correspondem a pacientes gestantes (9,1%). Nesse grupo, 237 evoluíram para a cura. Do total de 1.151 casos graves de mulheres em idade fértil (15 a 49 anos) confirmados para o novo vírus, 24,6% são gestantes, enquanto que para influenza sazonal, 15,4% são gestantes. Do total de 368 óbitos no País, 46 eram gestantes (12,5%).

Os três laboratórios de referência do Ministério da Saúde - Instituto Adolfo Lutz (SP), Instituto Evandro Chagas (PA) e Fundação Oswaldo Cruz (RJ) - analisaram 8.519 amostras de secreção respiratória positivas para influenza e outros vírus respiratórios. Do total, 5.767 (67,7%) foram confirmadas para o vírus da gripe suína e 1.958 (23%), para influenza sazonal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG