Gripe suína: estudo minimiza poder de mutação do vírus

Coloque o vírus da gripe suína numa sala com outras versões do causador da influenza e eles não se juntarão para formar uma nova superdoença. Em vez disso, a gripe suína simplesmente derrotará as outras, diz um estudo publicado ontem no site PLoS Currents: Influenza (http://www.

Agência Estado |

ploscurrents.org" target=_blank www.ploscurrents.org ), criado pela "Public Library of Science" para compartilhar informações científicas sobre a enfermidade. Os pesquisadores da Universidade de Michigan infectaram furões com várias versões da gripe para investigar os temores de que a suína poderia se fundir às outras e gerar um vírus mais letal. Mas o vírus da gripe suína, o H1N1, não sofreu mutações - análise da secreção nasal dos furões mostrou que não houve troca genética.

No entanto, os animais que receberam os dois tipos de vírus foram os que ficaram pior. E eles também transmitiram facilmente a gripe suína para os vizinhos - com muito mais facilidade do que transmitiram a gripe sazonal. Por enquanto, ela não sofre pressão evolucionária para desenvolver mutações, pois tem uma clara vantagem biológica sobre os vírus concorrentes, concluiu a equipe do virologista Daniel Perez. No entanto, o estudo, financiado pelo NIH, órgão americano responsável pela pesquisa em saúde, comprova a facilidade de disseminação do vírus, reforçando a preocupação das entidades internacionais em relação à pandemia.

"Os resultados sugerem que a gripe 2009 H1N1 pode derrotar em competição as cepas das sazonais e ser mais contagiosa também", disse o médico Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, ligado ao NIH. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG