A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai reforçar o controle das fronteiras terrestres como medida de contenção ao avanço da influenza A (H1N1), a chamada gripe suína, no Brasil. No Rio Grande do Sul, que tem extensa fronteira com Argentina e Uruguai, o órgão irá ampliar sua atuação dos atuais sete para 15 postos de fiscalização, com auxílio de funcionários da Secretaria da Saúde do Estado e do Exército.

Os passageiros de linhas regulares de ônibus e de transporte turístico receberão declarações de saúde do viajante que deverão ser preenchidas ao ingressar no País. A medida é uma forma de rastrear eventuais doentes. Também serão distribuídos folhetos em português, inglês e espanhol aos motoristas, segundo informou o gerente geral de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Anvisa, Paulo Coury.

Coury explicou que a orientação será aplicada em todo o País, mas o Sul requer maior atenção pelo expressivo trânsito de fronteira e o inverno mais rigoroso. Ontem, foi registrada uma morte causada pela enfermidade na cidade argentina de Paso de los Libres, que faz divisa com Uruguaiana, no oeste gaúcho. De acordo com o último relatório do Ministério da Saúde argentino, foram registrados 1.587 casos confirmados de gripe suína e 26 mortos no país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.