Gripe suína: Anvisa aumenta atuação nas fronteiras

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) intensificou a atuação nas fronteiras secas do País para identificar casos suspeitos de gripe suína entre passageiros de transporte coletivo. A ação foi reforçada ontem, um dia depois de a Colômbia confirmar uma infecção pelo vírus H1N1.

Agência Estado |

O diretor de Portos, Aeroportos e Fronteiras do órgão, José Agenor Álvares da Silva, afirmou que a ênfase será dada a áreas como Tabatinga (AM), na fronteira com a Colômbia, e Foz do Iguaçu (PR), onde o movimento é bastante intenso. Em Tabatinga, uma força tarefa já está em atuação.

Desde o relato dos primeiros casos de gripe suína no mundo, a Anvisa identificou 88 pontos de entrada do País, entre portos, aeroportos e fronteiras secas. A agência iniciou um trabalho de esclarecimento para turistas e para a população nesses locais e intensificou a vigilância para identificação de casos suspeitos. Porém, na semana passada, as atenções estavam voltadas principalmente para aeroportos, sobretudo para voos procedentes de regiões onde haviam casos confirmados da doença.

A ação foi ampliada para todos os voos - internacionais e domésticos. Mas o diretor reconhece que algumas empresas ainda não cumpriram as determinações, principalmente a de transmitir, durante a viagem, avisos sonoros com informações sobre a enfermidade. Numa nova reunião com companhias aéreas, programada para quinta-feira, o assunto será retomado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG