Gripe: MP pede para ministério explicar uso de remédio

O Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo pediu hoje informações ao Ministério da Saúde sobre os critérios usados pela pasta para fornecer remédios contra a Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. O objetivo do MPF é esclarecer uma aparente contradição existente no protocolo adotado pelo ministério, que orienta que apenas pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas devem receber o remédio oseltamivir, apesar de também existir orientação de que tal medicamento, para ser mais eficiente, deve ser ministrado nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas.

Agência Estado |

Segundo o MPF, a instauração do procedimento administrativo vem depois de notícia de recusa a realização de exames laboratoriais e o fornecimento de remédio indicado para os casos de possível infecção pelo vírus H1N1. O ministério tem dez dias, depois do recebimento do ofício, para responder ao MPF. O ofício foi enviado pelo procurador Regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias.

O MPF também quer saber quais as orientações repassadas para a realização ou não de exames laboratoriais. O pedido foi feito dentro do procedimento, instaurado na sexta-feira da semana passada, para investigar se os serviços de saúde pública federal, estadual e municipal estão combatendo, prevenindo e controlando a epidemia de gripe suína.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG