Gripe H1N1 já matou 421 pessoas no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - O Rio Grande do Sul e o Paraná confirmaram nesta quarta-feira novas mortes ligadas à gripe H1N1 e, de acordo com dados das Secretarias Estaduais de Saúde, a nova doença já matou pelo menos 421 pessoas no país. Na quarta-feira, o Ministério da Saúde havia confirmado 368 mortes até 15 de agosto.

Reuters |

No Paraná, Estado mais atingido pela nova gripe no Sul do país, são 119 mortes após a confirmação de 12 óbitos.

O Rio Grande do Sul registrou seis novas vítimas e agora soma 84 óbitos.

Em Minas Gerais, foram confirmados seis mortes no Estado, ante sete no balanço do ministério.

Nesta quarta-feira, Santa Catarina confirmou a décima morte pelo vírus, no município de Concórdia. Esta vítima já havia sido contabilizada pelo ministério.

Segundo o órgão federal, São Paulo é o Estado mais atingido, com 151 óbitos. Rio de Janeiro teria 45 óbitos, segundo o ministério, mas a secretaria Estadual confirmou à Reuters a morte de 43 pacientes.

O Ministério da Saúde considerou que a diminuição no número absoluto de casos graves pelo novo vírus na última semana pode ser um indicativo preliminar de que a doença pode estar recuando no país.

O Brasil segue como o terceiro país com maior número de mortes pela doença no mundo, atrás dos Estados Unidos e da Argentina, mas à frente do México, epicentro da pandemia global da nova gripe.

De acordo com as secretarias Estaduais de Saúde, também foram confirmadas mortes no Paraná (107) e Paraíba (2). Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco e Rondônia tiveram uma morte cada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG