Gripe comum causou 753 mortes e 27 mil internações no País em 1 ano

SÃO PAULO - A gripe comum gerou, só no ano passado, 27,3 mil internações em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro e 753 mortes, patamares próximos aos de 2007. Os governos gastaram R$ 18 milhões com as internações dos doentes em 2008.

Agência Estado |

No total, houve 1,3 milhão de internações por doenças respiratórias, principal causa de hospitalizações no País. No entanto, segundo especialistas, os números pouco dizem, pois a gripe e outras doenças respiratórias ainda não têm sua evolução adequadamente acompanhada no SUS.

Para o epidemiologista Expedito Luna, professor do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo, governos municipais, estaduais e União precisam acompanhar a evolução das doenças respiratórias assim como fazem com doenças que causam diarreias. Hoje, serviços de saúde devem contabilizar casos de diarreia semanalmente para abastecer um sistema do SUS e verificar, analisando os dados, se não há picos que evidenciem um novo padrão das doenças, como surto de cólera.

No País, no entanto, gripes e outras doenças respiratórias, como pneumonias, que podem ou não estar associadas ao vírus da gripe, têm seus dados apenas somados no fim do ano e não há um monitoramento ao longo das semanas. A rede pública já não faz, de rotina, o diagnóstico que investiga a origem das doenças respiratórias, então a ideia é criar um tipo de vigilância mais simples. Toda unidade conta os casos e faz um gráfico, diz Luna.

Questionado sobre a falta de acompanhamento, o diretor de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, Eduardo Hage, não respondeu. Disse apenas que existe uma rede de unidades sentinelas no País desde 2000, como nos demais países. Por natureza, o universo das unidades sentinelas não objetiva capturar as informações do País, de forma homogênea, mas monitorar a circulação do vírus e identificar modificações nos padrões de ocorrência da doença. Segundo a epidemiologista da Unicamp, Maria Rita Donalísio, os centros sentinelas são uma solução inteligente se funcionassem corretamente, avalia.

"Gripe suína"

Caiu de 25 para 22 o número de casos suspeitos de "gripe suína" ( rebatizada de gripe A H1N1  pela OMS) no Brasil, de acordo com boletim divulgado pelo Ministério da Saúde neste domingo. Amostras de secreções respiratórias destes pacientes estão em análise em laboratórios.

O número de casos monitorados segue em 18 e já foram descartados 264 casos.

Os casos suspeitos estão nos Estados de Minas Gerais (7), São Paulo (6), Distrito Federal (2), Alagoas (1), Amapá (1), Paraná (1), Pernambuco (1), Piauí (1), Rio de Janeiro (1) e Rondônia (1).

Segundo o último boletim, foram confirmados oito casos da doença, nos Estados do Rio de Janeiro (3), São Paulo (2), Minas Gerais (1), Rio Grande do Sul (1) e Santa Catarina (1).


Leia também:

Entenda a "gripe suína"


Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG