SÃO PAULO - A greve dos policiais civis em São Paulo completa um mês nesta quinta-feira (16) e, segundo representantes da categoria, continua sem perspectiva de término, já que as negociações com o Governo do Estado não avançaram. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/15/ssp_nao_responde_pedido_de_audiencia_da_oab_sp_sobre_a_greve_da_policia_civil_2050020.html target=_topSSP não responde pedido de audiência da OAB sobre greve

Acordo Ortográfico

Para marcar a data, os policiais civis pretendem fazer uma passeata no início da tarde de quinta, partindo do estádio do Morumbi com destino ao Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo paulista.

Segundo Paulo S. Kotzent, do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo (Sipesp) e do comitê de greve, o governo se mantém intransigente.

De acordo com ele, a proposta do governo apresentada na semana passada de reajuste de 6,2% foi considerada absurda pelo movimento grevista, que reivindica reajuste salarial de 15% para este ano, 12% para o ano que vem e outros 12% para 2010, além da incorporação das gratificações ao salário e da reestruturação das carreiras.

O Estado de São Paulo é responsável por 38% da arrecadação do Brasil e nós, da Polícia Civil paulista, somos o pior salário do País, disse Kotzent.

Kotzent afirmou que o movimento grevista continua forte em todo o Estado, principalmente nas cidades do interior. De acordo com ele, somente casos de emergência estão sendo atendidos nas delegacias.

Leia mais sobre: greve

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.