SÃO PAULO - A greve dos Correios acabou em 20 Estados mais o Distrito Federal, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresa de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect). Segundo a Fentect, dos 29 sindicatos de funcionários do país, 27 já votaram pelo fim da greve. Até o momento, apenas o sindicato do Estado de Minas Gerais rejeitou o acordo. No entanto, de acordo com a Fentect, todos os funcionários retornarão ao trabalho.



Os funcionários em greve dos Correios realizam nesta segunda-feira assembléias em todo o País para votar o acordo firmado com o ministro Hélio Costa no último sábado. Segundo a diretora da Federação Nacional dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Atividades Correlatas, Amanda Gomes Cursinho, do sindicato dos Correios de Brasília, a greve deve terminar. A paralisação acontece desde o dia 1º de julho.

A Fentect orientou que todos os sindicatos aceitassem o acordo, segundo disse Amanda. Após a aprovação da proposta, os grevistas voltam ao trabalho na meia-noite desta terça-feira.

Segundo o Sindicato, a situação das correspondências e encomendas estocadas deve ser regularizada entre 10 e 15 dias. A previsão da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos é a mesma.

A proposta votada no último sábado prevê pagamento, em definitivo, de 30% do salário-base para 43 mil carteiros que trabalham na distribuição e coleta externa, a título de adicional de atividade, retroativo a junho de 2008. Aos demais empregados que trabalham na distribuição e aos atendentes em guichês de agências, a empresa continuará pagando o valor fixo de R$ 260,00.

Sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salários de 2008, o assunto volta a ser discutido em agosto. Também foi acordado que não haverá descontos dos dias parados e que o crédito do vale-refeição/alimentação/cesta será feito após o encerramento da greve.

Nesta segunda, o Ministério das Comunicações, a ECT e a Fentect encaminham o texto do acordo para homologação do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Leia também:


Leia mais sobre: greve dos Correios

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.