CAMPINAS - Os motoristas e cobradores de ônibus de Campinas, no interior de São Paulo, permanecem em greve nesta terça-feira após fracassar a audiência de conciliação entre empresários e operadores do transporte público realizada na noite desta segunda no Tribunal Regional de Trabalho (TRT) do município.

Segundo informações da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), cerca de 300 mil pessoas foram prejudicadas nesta terça com a falta dos coletivos.

Apenas 30 ônibus e 80 alternativos circulavam pela cidade. Dos 10 terminais rodoviários, apenas o Terminal Central estava funcionando nesta manhã, segundo a EMDEC.

Segundo informações da prefeitura, durante a audiência no TRT, o desembargador Luiz Antonio Lazarim, que presidiu os trabalhos, enfatizou que além da penalidade prevista para o descumprimento da liminar que exige os 70% da frota nas ruas no horário de pico e 50% no entrepico, a categoria não está isenta de prejuízos de desconto dos dias parados com o movimento.

De acordo com a EMDEC, o sindicato está desrespeitando o acordo, já que apenas 30 coletivos, do total de 800 ônibus da frota da cidade, estão operando.

Na proposta de conciliação do sindicato, a categoria reivindicou piso salarial na ordem de R$ R$ 780,00 para os cobradores e aumento de 7% sobre os salários dos motoristas (atualmente, R$ 1.288,14), além da fixação de um piso diferenciado para aqueles que dirigem veículos articulados. Também pediu vale-refeição no valor de R$ 10,00, entre outros benefícios.

Já as empresas formularam como contraproposta piso salarial para os motoristas no valor de R$ 1.374,01 e para aqueles que dirigem micro-ônibus, piso de R$ 1.005,47, segundo informações da prefeitura.

Para os cobradores, os empresários propuseram R$ 560,47 e vale-refeição para toda a categoria de R$ 8,50. Com as diferenças das propostas, ficou definido que o sindicato submeterá a proposta que foi formulada pelas empresas em duas assembleias nesta terça. Sem um entendimento durante a audiência, uma nova tentativa de conciliação foi agenda para hoje às 17 horas no TRT.

Leia mais sobre : greve de ônibus

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.