Os médicos da rede municipal de saúde de Sorocaba, a 92 km de São Paulo, entraram em greve hoje. De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos, Antonio Sérgio Ismael, a paralisação atingiu os dois prontos-socorros municipais e as 29 unidades de atendimento.

Eles reivindicam reposição salarial de 166%. Como a prefeitura obteve liminar obrigando a categoria a manter pelo menos 60% dos médicos no atendimento, a maioria compareceu aos postos de trabalho, mas ficou de braços cruzados. Apenas os casos considerados de emergência foram atendidos. Houve filas e princípio de tumulto em alguns postos.

Segundo Ismael, a categoria tenta negociar com a prefeitura desde o início de março. Os médicos recebem R$ 2,2 mil por 15 horas semanais e querem passar a receber R$ 8,2 mil por jornada semanal de 20 horas. Também reivindicam mais segurança nas unidades, já que houve casos de agressões contra médicos. A Secretaria da Saúde informou, através de nota, que todas as unidades funcionaram e que os casos de urgência foram atendidos, tendo ocorrido apenas problemas pontuais. Até o final da tarde, os médicos mantinham a decisão de continuar em greve.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.