Militantes da organização ambientalista Greenpeace fizeram hoje um apelo a favor de um acordo na reunião da Organização das Nações Unidas (ONU), que será realizada em dezembro em Copenhague, para redução das emissões de gases causadores do aquecimento global. O pedido foi feito aos presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, Nicolas Sarkozy.

Uma bandeira cobriu parte da fachada do Teatro Amazonas, em Manaus, e pedia para os três lideres "fazerem história e salvarem o clima".

O Greenpeace promoveu a manifestação aproveitando o fato de que, hoje, acontecerá em Manaus uma reunião de Cúpula dos Países Amazônicos, da qual participa também Sarkozy. Lula tentará extrair dos colegas uma posição comum para ser levada à Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), na capital dinamarquesa. A manifestação durou cerca de meia hora, e não houve incidentes.

Porém, hoje, o encontro sofreu mais uma baixa: o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, informou ao governo brasileiro que não participará da reunião. De acordo com o embaixador da Venezuela no Brasil, Julio Garcia Montoya, a razão do cancelamento foi a extensão por mais de 24 horas da visita do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, a Caracas, e a chegada, hoje à noite, do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

O líder venezuelano deve ser representado pelo ministro de Relações Exteriores, Nicola Maduro, e por integrantes do Ministério do Meio Ambiente. O encontro que inicialmente teria a participação de nove presidentes, contará com a participação de apenas três: Lula, Sarkozy e o da Guiana, Bharrat Jagdeo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.