Gravadora obriga Amy Winehouse a reescrever músicas do novo álbum

Londres, 23 mar (EFE).- A gravadora de Amy Winehouse, a Island Records, rejeitou as músicas que a cantora gravou para seu terceiro álbum durante sua viagem ao Caribe por considerar que não satisfazem às expectativas geradas após o grande sucesso de Back to Black, informou hoje o jornal The Sun.

EFE |

A gravadora, que também representa artistas como Razorlight ou Duffy, acredita que o conteúdo do disco está muito centrado na relação da estrela com Blake Fielder-Civil, de quem se separou em novembro, e tem também muita influência de reggae, rompendo com seu anterior estilo, mais voltado ao soul.

O jornal destaca que a gravadora pediu a Winehouse que componha um novo conjunto de canções que se ajustem mais ao que se espera dela.

"Amy foi muito produtiva durante sua estadia em Santa Lúcia, escreveu muitas canções, mas a maioria não acertou o alvo", afirmou ao "Sun" uma fonte não identificada.

Esta mesma fonte explicou que, em sua nova proposta, a cantora parece ter abandonado seu típico som, o soul vintage, em favor de um reggae que poderia representar uma mudança radical demais aos fãs.

Aparentemente, as letras escritas por Winehouse em Santa Lúcia são depressivas e sombrias demais, com excessivas e reveladoras referências à relação com o ex-marido.

O "Sun" afirma que a cantora, que, na semana passada, se declarou inocente perante um tribunal da suposta agressão a uma fã, frustra a gravadora com sua demora em elaborar um terceiro disco, já que "Back to Black", que vendeu 11 milhões de cópias, foi lançado em outubro de 2006. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: amy winehouse

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG