A Grande Muralha da China tem cerca de 2.500 km a mais do que se acreditava até agora e está ameaçada de desaparecer em alguns trechos, segundo um estudo realizado com instrumentos modernos, informou nesta segunda-feira o jornal China Daily.

Esta grande obra, que faz parte do patrimônio mundial da Unesco, estende-se por 8.851,8 quilômetros, ou seja, muito mais do que os 6.300 das estimativas que se baseavam até agora nos relatos históricos, e não em estudos cartográficos.

Na China, um dito popular diz que a "Grande Muralha" tem uma extensão de 5.000 km.

Mas a Grande Muralha também está ameaçada de desaparecer em vários lugares, devido à construção de estradas, a projetos de desenvolvimento econômico e a condições climáticas extremas, segundo a pesquisa citada pelo diário.

A avaliação do estado e da extensão da Grande Muralha foi realizada durante dois anos pela Administração do Estado encarregada do Patrimônio Cultural, graças ao GPS e a outras tecnologias modernas, que permitiram descobrir trechos ignorados nas montanhas e nos desertos.

O estudo mostrou que as antigas fortificações construídas durante a dinastia Qin (221 a 206 aC) para evitar as invasões das tribos vindas do norte, e reconstruídas sob a Ming (1368-1644), incluía 6.259,6 km de muros, 359,7 de trincheiras e 2.342,5 de barreiras naturais, como montanhas ou rios.

kma-jq/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.