Grammy reverencia Veteranos do Velho Continente

Parecia que estava tudo combinado. Com a bênção de Paul McCartney na primeira fileira do ginásio Staples Center, em Los Angeles, o 51º prêmio Grammy estabeleceu uma nova ordem para a indústria musical americana: saíram os rappers juvenis, entraram os veteranos do Velho Continente na noite de anteontem.

Agência Estado |

Se Sir. Paul McCartney assistia de camarote às apresentações, quatro rapazes, também ingleses, chamavam a atenção pelo visual com cara de Sgt. Peppers . Com sete indicações na noite, o Coldplay acabou levando três prêmios.

A escalação de shows já mostrava a mudança: comemorava o que a Europa trouxe de melhor nas últimas décadas. O inglês Robert Plant e a americana Alison Krauss foram agraciados com cinco prêmios da noite. O Grammy teve início com o U2 e a canção, Get On Your Boots , música de seu novo disco No Line on the Horizon . Depois vieram Coldplay com Jay-Z, a “fofuxa” Adele com a linda Chasing Pavements e a surpreendente apresentação do Radiohead, que trouxe o vocalista Thom York e o guitarrista Jonny Greenwood à frente de uma banda marcial americana, apresentando a canção 15 Step , faixa de In Rainbows , um dos concorrentes a “álbum do ano”.

Já o Brasil levou o Grammy indiretamente pelo álbum Randy in Brasil , do saxofonista Randy Brecker na categoria “jazz contemporâneo”. Produzido inteiramente no País, o maestro Ruriá Duprat foi o responsável pelos seus arranjos, produção e boa parte dos instrumentos. “O Randy me disse que, caso levasse, me daria o Grammy, já que tem 12 prêmios desses na sua casa”, falou o maestro à reportagem, antes de embarcar para Los Angeles. As informações são do Jornal da Tarde .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG