Grã-Bretanha arrecada 50 milhões de libras para restaurar pintura de Tiziano

A Grã-Bretanha conseguiu arrecadar 50 milhões de libras para restaurar o quadro Diana e Acteão, uma das mais valiosas obras do pintor italiano Tiziano, anunciou nesta segunda-feira a National Gallery de Londres, que em 2008 lançou uma campanha milionária para impedir que a obra fosse vendida a colecionadores particulares.

AFP |

A tela "Diana e Acteão", pintada por Tiziano em 1556 para o rei Felipe II da Espanha, é exibida, há mais de um século, na coleção permanente do museu de Edimburgo, cedida pelo duque de Sutherland, seu proprietário - que no ano passado anunciou que pretendia vender algumas peças de sua coleção.

O aristocrata declarou estar disposto a ceder "Diana e Acteão" ao Estado por 100 milhões de libras (106 milhões de euros, 135 milhões de dólares).

Ao saber da intenção do duque, a National Gallery de Londres se uniu à National Gallery da Escócia para lançar uma campanha de arrecadação, com o objetivo de arrecadar dinheiro suficiente para impedir que o quadros saísse do Reino Unido.

O prazo dado pelo duque expirou em dezembro de 2008.

O sucesso da campanha "é uma prova do poder da pintura de Tiziano e da convicção de que o acesso do público a grandes obras de arte é de suma importância", declarou em um comunicado a National Gallery.

O duque de Sutherland deu mais quatro anos à Grã-Bretanha para que o mesmo montante seja arrecadado para a aquisição de "Diana e Calisto", outra obra-prima de Tiziano.

ame/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG