Governos do N e NE fazem pacto contra desigualdade

Governadores dos Estados do Nordeste e da Amazônia Legal acertaram ontem com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva um pacto para tentar reduzir, nos próximos dois anos, a situação de pobreza e as desigualdades entre as duas regiões e o restante do País. Até 2010, o governo quer que os 17 Estados reduzam a mortalidade infantil, o analfabetismo e o sub-registro civil e aumentem o número de famílias atendidas no Programa de Agricultura Familiar (Pronaf).

Agência Estado |

Lula resolveu chamar os governadores para um pacto depois de receber os últimos números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Eles mostram que, apesar dos avanços, Norte e Nordeste ainda continuam atrás do resto no País nos indicadores sociais. As estratégias de ação ainda serão definidas, mas as metas foram traçadas ontem, depois de uma reunião de dia inteiro entre 17 governadores, nove ministros e, no fim, o presidente.

Na saúde, o objetivo é reduzir em pelo menos 5% ao ano as taxas de mortalidade infantil em cada Estado. Em 2007, dado mais recente, a média brasileira era de 19,3 mortes para cada mil nascidos vivos. Na Região Norte, alcançava 21,7 por mil e, no Nordeste, 27,2 por mil. “Hoje a metade dessas mortes acontece nos primeiros 27 dias de vida. É nesse período que precisamos trabalhar”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Há 207 municípios com situações mais graves listados como prioritários. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG