Governos de PR e AM fecham cofres para emendas

No Paraná, a Comissão de Orçamento da Assembléia recomenda que cada deputado estadual apresente emendas em um total de até R$ 2 milhões. No Amazonas, a discussão da proposta orçamentária ainda não foi encerrada.

Agência Estado |

Mas tanto em um como em outro Estado a queixa dos deputados é a mesma: de nada adianta discutir, já que nenhum dos dois governos dá um único centavo para emendas parlamentares.

O relator da comissão paranaense, Nereu Moura (PMDB), diz que desde a eleição do governador Roberto Requião (PMDB) não há abertura. “Muitos sequer apresentam emendas, porque sabem que ele não cumpre”, afirmou. “Fazemos emendas até para dar uma satisfação aos eleitores, mas na verdade a gente já alerta que não serão pagas.” Aliado de Requião, ele explica: “O governo considera que essa é decisão técnica, não política.”

A proposta de Orçamento do governo amazonense para 2009 é de R$ 8.016.719.000, 21,45% superior ao deste ano. Mas há pouca esperança na Assembléia. A proposta de 2008 chegou a receber 129 emendas parlamentares, mas todas foram derrotadas - o Orçamento foi aprovado exatamente como veio do Executivo.

Em meio à crise global, que levou governadores a fixarem metas mais conservadoras de gastos, deputados de 11 Estados ignoraram o cenário recessivo para brigar por mais verbas para emendas ao Orçamento. Se todas as cobranças forem atendidas, segundo levantamento do Estado , no ano que vem os governadores terão de desembolsar R$ 386,7 milhões a mais, em relação a 2008, para acalmar as Assembléias. É um aumento de 50,7% em relação ao total reservado para emendas este ano, de R$ 762,65 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG