Governo vê irregularidade e corta R$ 15 mi de Mato Grosso do Sul

Ministério da Saúde veta repasse de verbas a 11 municípios, incluindo a capital, por problema em programas como o Saúde da Família

Helson França, iG Mato Grosso |

Devido a irregularidades apontadas no cadastramento de profissionais das equipes de Saúde da Família, Saúde Bucal e de Agentes Comunitários de Saúde, o Ministério da Saúde vai deixar de repassar cerca de R$ 15 milhões para 11 cidades de Mato Grosso do Sul, incluindo a capital, Campo Grande.

Os outros municípios que não irão contar com a verba são Rio Verde, Amambai, Bela Vista, Bonito, Cassilândia, Coxim, Itaporã, Miranda, Paranaíba e Bataguassu.

De acordo com o ministério, foram encontradas duplicidades no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES), o que poderia acabar com a liberação de um valor maior do que o necessário.

A quantia é para ser utilizada em programas do Sistema único de Saúde (SUS) e, segundo o Ministério, os valores só serão repassados quando os problemas forem corrigidos. Porém, existe o temor de de que os atendimentos aos pacientes fiquem comprometidos pela falta da verba.

Uma das situações mais delicadas é a da cidade de Rio Verde. O município consta na lista de irregularidades na gestão financeira de recursos, detectadas em auditoria da Controladoria-Geral da União e que ainda não foram corrigidas.

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul, por meio da assessoria de imprensa, frisou que cada município deve procurar resolver o impasse, dando a entender que não irá contribuir com verbas estaduais para as cidades.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG