Governo vai repassar R$ 704 milhões para segurança alimentar

BRASÍLIA - O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, informou nesta quarta-feira que o governo investirá aproximadamente R$ 704 milhões neste ano em projetos de segurança alimentar e nutricional. Deste montante, R$ 67 milhões serão destinados aos municípios, R$ 14,8 milhões serão repassados aos Estados que aderiram ao Compromisso Nacional Pelo Desenvolvimento Social e R$ 621,9 milhões serão destinados a ações de cooperação e parcerias de segurança alimentar e nutricional.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

As ações vão atender diretamente produtores de alimentos, agricultores familiares e consumidores, da cidade e do campo, em especial às famílias beneficiárias de políticas sociais, como o Bolsa Família.

Os editais para concorrência foram publicados nesta quarta-feira no Diário Oficial da União e também estão disponíveis no site do MDS. Eles têm o objetivo, entre outros, de selecionar propostas para apoio a projetos de compra direta local da agricultura familiar. Os alimentos adquiridos serão utilizados para abastecer restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos e feiras populares. Também há previsão de investimentos na construção de novos estabelecimentos e modernização dos já existentes. Estamos consolidando no Brasil uma grande rede de proteção social, disse o ministro.

As áreas prioritárias são capitais e regiões metropolitanas, os municípios do semi-árido, os municípios dos consórcios de segurança alimentar e desenvolvimento local e cidades que compõem o programa Territórios da Cidadania, do governo federal. A previsão é aplicar R$ 473 milhões por meio de editais, atendendo 135 mil famílias de agricultores em pequenas propriedades.

O governo também pretende priorizar os Estados que já aderiram ao Compromisso Nacional pelo Desenvolvimento Social, criado em março de 2008.

Atualmente, oito Estados não aderiram ao pacto entre União, estados e municípios. Ele apresenta metas para a erradicação da extrema pobreza, da insegurança alimentar grave, do trabalho infantil e da exploração sexual de crianças e adolescentes; a promoção da universalização das políticas de proteção e promoção social; a inclusão produtiva; e o fortalecimento das instituições e dos mecanismos sociais, políticos e econômicos.

No Compromisso Nacional, a União se compromete a oferecer apoio técnico e financeiro ou mecanismos de incentivo para o cumprimento das metas, enquanto os estados e municípios devem buscar o aprimoramento e a ampliação das políticas públicas de desenvolvimento social.

    Leia tudo sobre: agricultores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG