Governo vai anunciar lei para redução das queimadas, diz Minc

BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, antecipou nesta quarta-feira que o Governo deverá anunciar em fevereiro uma lei para a redução progressiva de queimadas em áreas de lavouras da cana-de-açúcar. De acordo com o ministro, o objetivo da medida é alcançar de 2010 até 2020, a eliminação das queimadas em todas as áreas mecanizáveis (onde a colheita pode ser feita através de colheitadeiras).

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

Isso pra nós do meio ambiente é um ganho muito importante porque a queimada elimina a matéria orgânica, emite CO2 e agride o pulmão das pessoas, ressaltou Minc.

Segundo o ministro, no período de (2010-2020) será criado um cronograma com metas para redução de queimadas. Irá ter uma série de estímulos para a eliminação total das queimadas, de direcionamento de crédito, facilitação de maquinário e restrições legais. O cronograma estipula que em 2010 terão de ser eliminados 20% das queimadas feitas nas áreas atuais de cultivo de cana, em 2012, a redução terá de ser de 30%, em 2014 de 50%, em 2018 de 80% e 2020 de 100%, ressaltou.

Ele acrescentou que os empresários terão que se adequar à lei sob pena de restrições. Depois desse período quem continuar queimando vai ter a produção interditada.

O ministro informou que atualmente há 7 milhões de hectares plantados de cana-de-açúcar e a meta é aumentar 6 milhões de hectares até 2017. Não temos problema de terra, temos muito mais terra disponível do que aquela que a gente precisa para a expansão do etanol. Nosso etanol tem que ser 100% verde, senão nossos adversários vão usar o argumento ambiental para colocar uma barreira em nosso combustível, disse Minc.

Leia mais sobre: queimadas

    Leia tudo sobre: meio ambientemeio-ambiente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG