Governo reforça participação no Fórum Social Mundial

BRASÍLIA (Reuters) - O governo brasileiro participará em peso da edição deste ano do Fórum Social Mundial, em um movimento para fortalecer suas relações com os movimentos sociais. O evento será realizado em Belém (PA), entre os dias 27 de janeiro e 1o de fevereiro. Além do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, irão 13 ministros. A chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já confirmou a presença em um debate sobre a participação da mulher na política. A ministra é considerada a escolhida pelo presidente Lula para disputar a eleição presidencial de 2010.

Reuters |

"O governo brasileiro tem uma grande afinidade e um grande interesse na imensa maioria dos temas debatidos no fórum", afirmou a jornalistas o secretário-geral da Presidência da República, ministro Luiz Dulci, principal interlocutor do governo com os movimentos sociais.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não irão a Belém.

O governo federal repassou 77,6 milhões de reais ao governo do Pará para garantir a infraestrutura, a segurança e os serviços de saúde necessários. Segundo Dulci, mais de 87 mil pessoas já se inscreveram para o fórum.

O Fórum Social Mundial também terá atrações internacionais, como os presidentes Hugo Chávez (Venezuela), Rafael Correa (Equador), Evo Morales (Bolívia) e Fernando Lugo (Paraguai) irão.

O secretário-geral da Presidência disse que Lula não deve ter reuniões bilaterais formais com os outros chefes de Estado. Na quinta-feira, os presidentes debaterão os efeitos e formas de combater a crise financeira global.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG