Governo reage e quer impedir convocação de Dilma Rousseff

BRASÍLIA - A Comissão de Infra-Estrutura do Senado aprovou nesta quinta-feira a convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Russeff. De acordo com o requerimento do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), o objetivo seria discutir o andamento dos projetos pertinentes ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Entretanto, o presidente da comissão, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), afirmou que não irá impedir a discussão de outros temas, como a elaboração de suposto dossiê com gastos do governo de Fernando Henrique Cardoso pela Casa Civil.

Sarah Barros, Último Segundo/Santafé Idéias |

Em fevereiro de 2007, outro requerimento aprovado previa o convite para que Dilma estivesse na comissão. Porém, ela não compareceu. Feita sem a presença da base aliada, a votação de hoje culminou na aprovação da convocação.

O líder do governo no Senado, senador Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que irá recorrer à Comissão de Constituição e Justiça da Casa contra a convocação por entender que ele tem o objetivo de imputar a Dilma uma disputa política.

O governo nunca se negou a enviar ministros para o Senado. Mas estamos convivendo em um momento em que se está tentando construir um discurso político-eleitoral para atacar a imagem da ministra Dilma, usando, inclusive, a figura do ex-presidente Fernando Henrique, declarou Jucá. Está claro que [a convocação] não é para discutir PAC, mas é atingir Dilma como líder e não vamos permitir isso, reforçou. 

Perillo rechaçou acusações de que a votação não teria seguido prerrogativas regimentais e declarou que colocará o recurso do governo em votação na reunião da próxima semana. Com a aprovação da convocação hoje, Dilma deverá estar comparecer em trinta dias.

Leia mais sobre: Dilma Rousseff

    Leia tudo sobre: dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG