Governo reabre negociações e aeroportuários suspendem greve

Proposta prevê estabilidade e equivalência salarial para a categoria. Sindicato afirma estar em "estado de greve" até reunião no Planalto

iG São Paulo |

Futura Press
Faixas contra a privatização dos aeroportos foram colocadas pelo sindicato. Na foto, terminal de Cumbica
Os funcionários da Infraero dos aeroportos de São Paulo e Brasília suspenderam, nesta sexta-feira por volta das 11h, a paralisação iniciada à 0h de quinta (20). O movimento de 48 horas estava previsto para terminar só no fim da noite. Segundo o Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina), a decisão foi tomada após receberem uma proposta oficial da Secretaria de Aviação Civil (SAC), com garantias trabalhistas no processo de concessão dos aeroportos.

Leia também: Dilma diz que fará concessão de aeroportos

O diretor do Sina, Samuel Santos, que integra a coordenação da greve, informou que na próxima quarta-feira (26), às 10h, haverá uma reunião no Palácio do Planalto com o SAC, Infraero e Presidência da República para debater o modelo de concessão. A proposta do governo prevê estabilidade para os funcionários da Infraero, manutenção da data-base e equivalência salarial, assuntos que ao longo das discussões realizadas em reuniões anteriores entre sindicato e representantes do governo não avançavam.

A greve, que foi iniciada na quinta-feira (20), não afetou as operações de embarque e desembarque nos aeroportos de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, Campinas e Brasília. Entre todos os sistemas, o mais afetado foi o aeroporto de Viracopos, em Campinas, que teve o terminal de cargas paralisado.  Até o começo da manhã, os pousos e decolagens estavam normais. A greve dos aeroportuários  teve adesão de 25% a 30%, segundo a Infraero.

*com AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG